Ubuntu no Windows

Ontem, dia 30 de março de 2016, em São Francisco, aconteceu o Build 2016, que é o evento da Microsoft para mostrar ao mundo as novidades que estão por vir em suas plataformas. Neste evento, houve uma revelação que esta causando muitos comentários na comunidade: o bash do Linux agora no Windows.

Imagem1

Eu uso Windows desde que me conheço por pessoa. Comecei com o bom e velho Windows 98 e, quando iniciei no mundo da programação, já estava no Windows XP. Conforme fui me aprofundando na área, percebi que não existia somente o Windows como sistema operacional. Foi então que conheci o Linux.

Logo de cara, já vi funcionalidades que não tinham no Windows. Porém, como trabalhava com .Net, sabia que não poderia usar Linux – então, mesmos com certas dificuldades para realizar determinadas tarefas que no ecossistema Linux eram muito mais simples, não poderia deixar de usar Windows.

Mas isso mudou, quando comecei a trabalhar como Front End. As falhas que existem no Windows, começaram a prejudicar o meu rendimento, em diversas ocasiões porque, como trabalhava muito com nodejs, acabava em um beco sem saída,. Isso quando não tinha que aplicar algum workaround para conseguir dar continuidade no desenvolvimento. Cheguei até a usar Cygwin, que era a forma mais fácil de ter algo do ecossistema Unix no Windows. Mas chegou um determinado momento, em que não tive escolha, precisei mudar de sistema operacional. Desde então comecei a usar Mac Os, que é baseado em Unix, e deixava o meu desenvolvimento e produtividade nas alturas.

Porém, ao acompanhar o Build 2016, e deparar com essa novidade, foi completamente um mind blowing, porque nunca pensei que estaria vivo para presenciar tal feito, utilizar comandos Linux nativamente no Windows. Sim, é isso mesmo que acabou de ler: nativamente.

Neste momento você deve estar se dizendo “Isso não é possível, não tem como a Microsoft ter feito isso”. Mas vamos imaginar o seguinte cenário: você um usuário de Windows 10, abre o menu iniciar, digita bash na busca de programas, aperta enter, e um Prompt do Windows surge. Mas não é o velho cmd, e sim um bash baseado no Ubuntu, com total acesso a todas as ferramentas: apt, ssh, rsync, find, grep, awk, sed, sort, xargs, md5sum, gpg, curl, wget, apache, mysql, python, perl, ruby, php, gcc, tar, vim, emacs, diff, patch, entre outros.

Então você logo pensa: “Certo, é apenas o Ubuntu rodando em uma máquina virtual, nada demais! Mas aí é que você se engana, amiguinho! Não é uma máquina virtual, não tem o kernel do Linux com boot em uma máquina virtual por baixo com o virtualbox. É apenas o Ubuntu, mesmo.

Então você rebate: “Ah tá, é um container com Ubuntu então. ”

Não, não, acho que você não entendeu, não é um container também. É o binário do Ubuntu nativo rodando direto no Windows.

Não acreditando ainda, você responde:”- Hmm, então é como se fosse um Cygwin?”

Respondo que não, pois o Cygwin inclui todas as bibliotecas livres e utilitários que são recompilados da fonte para rodar direto no Windows. Estamos falando de bit por bit, checksum por checksum, do Ubuntu ELF rodando direto no Windows

Depois de uma longa pausa, você responde: “- Então é como se fosse um emulador de Linux?” E eu digo que está quase lá, amiguinho. Uma equipe de desenvolvedores da Microsoft vem trabalhando duro para adaptar algumas tecnologias a fim de, basicamente, executar como se fosse uma tradução em tempo real do Linux, chamada por chamada. É o contrário do famoso “wine” que temos no Linux para rodar aplicações Windows.  E a Microsoft está chamando isso de “Subsistema Windows para Linux”. Infelizmente, por ora, ainda não é open source.

Resumindo: com essa atualização, não será mais necessário utilizar o Putty.exe para realizar conexões ssh.  Você vai poder abrir o terminal bash, digitar ssh e pronto! A mágica está feita.

Imagem1

Ah e claro, já ia me esquecendo, você também vai poder utilizar o apt-get.

Imagem1

Então tudo esta funcionando do jeito que deveria funcionar? Infelizmente, nem tudo ainda. Mas isso é um avanço enorme para o ecossistema que a Microsoft tem hoje em dia. Agora, não teremos mais a desculpa de ir para o Linux por causa do bash, porque temos essa fantástica funcionalidade no Windows.

 

Referencias:

http://blog.dustinkirkland.com/2016/03/ubuntu-on-windows.html?m=1

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>